Na Luta Com Lula pela Democracia

Por Assessoria de Imprensa
Publicada em 25 de janeiro de 2018


Autoridades da Fetraf-RS acompanhadas do Coordenador Geral da Contraf Brasil, Marcos Rochinski, participaram da mobilização na capital entre os dias 22 e 24 do corrente mês em apoio ao ex-Presidente Lula em seu processo de julgamento em Segunda instância pelo TRF4.

Acampados do dia 23 para o 24, nossos agricultores vieram se somar à multidão que habitava o Anfiteatro Pôr-do-Sol numa linda caminhada que culminou em um representativo dia de luta. Isto porque o dia 23 foi marcado por um grande ato com a presença de Lula, no qual estima-se que em torno de 70 mil pessoas estavam presentes, dentre elas nossos dirigentes (confira as fotos no final desta publicação). Também estava presente a Presidenta Legítima Dilma, que havia participado do ato das Mulheres pela Democracia com Lula no final da manhã do mesmo dia.

Rochinski explica que a presença de Fetraf e Contraf nesse momento histórico que aconteceu em Porto Alegre se deu para exigir “um processo de Legalidade e um processo de julgamento justo para o Presidente Lula. Mais do que isso, o direito deste cidadão, que tanto fez pela Agricultura Familiar e pela Reforma Agrária deste país, direito de mais uma vez se candidatar nas eleições de 2018 e com toda certeza voltar a presidir o nosso país”, salientando que Acampamento/Manifestação/Caminhada tiveram um “papel de defesa da Democracia do nosso país”.

É preciso destacar que a decisão unânime de condenação de Lula (o julgamento do dia 24 resultou nos 3 desembargadores votando pela condenação de Lula, incluindo aumento de pena de 9 para 12 anos) vem contrária à opinião de inúmeros juristas, inclusive de fora do Brasil, o que configura não somente perdas para a Agricultura Familiar, mas também uma perseguição à liberdade, como destaca o Coordenador Geral da Fetraf-RS, Rui Valença: “representa grave ameaça à liberdade individual das pessoas e também à liberdade das instituições, dos movimentos sociais e do movimento sindical porque quando se decide condenar alguém sem provas se abre precedentes – neste momento foi o ex-Presidente Lula, mas a qualquer momento pode ser qualquer instituição da sociedade civil”. E Rui complementa que há uma perda para a Agricultura Familiar “porque Lula apresenta uma possibilidade de retorno às políticas públicas que fomentaram, ajudaram e desenvolveram a Agricultura Familiar nos últimos anos, ao contrário do que está acontecendo agora que diminuiu o orçamento do antigo Ministério do Desenvolvimento Agrário, atual Secretaria Especial da Agricultura Familiar, por uma opção política na qual se escolhe quem se quer ajudar mais. Porque a gente sabe que esse Governo, essa proposta que derrubou a Dilma e está julgando o Lula, escolheu o grande empresariado da agricultura, não a Agricultura Familiar”.

Confira abaixo os registros da participação da Fetraf-RS.


LINKS ÚTEIS