Estiagem é tema de audiência em Espumoso

Por Assessoria de Imprensa
Publicada em 10 de março de 2020


A Fetraf-RS participa da audiência pública sobre os Impactos da Estiagem promovida pela Câmara de Vereadores de Espumoso, Sintraf de Espumoso e entidades do município na Casa da Cultura Dr. Getúlio Soares de Chaves em Espumoso. Confira o relato de Rui Valença, Coordenador Geral da Fetraf-RS, sobre a situação e a importância de realizar esta atividade e de unir forças:

Nós estamos vivendo agora o que eu chamo de um segundo momento dessa estiagem. No primeiro momento nós tivemos uma perda já consolidada na produção de grãos, sendo milho, soja e feijão – na região de Espumoso se perdeu de 70 a 100% dessas culturas. E agora a preocupação maior é nesta segunda fase que entra em uma situação ainda mais crítica, pois estamos vivendo uma falta de água, principalmente para os agricultores que precisam de água para os animais, e também a falta de alimentos para os mesmos.

Já não foi possível fazer a safra normal da silagem e a safrinha está totalmente comprometida, e isso vai comprometer a produção de leite durante todo o ano. Realizar essa audiência promovida pela Câmara de Vereadores do município com diversas entidades é uma iniciativa importante para organizarmos os agricultores com nossas  cooperativas de produção, cooperativas de crédito e demais entidades para encontrarmos uma política pública no governo do estado e no governo federal.

Nos últimos anos já vivenciamos outros momentos de estiagem. Lá em 2004/2005 tivemos também uma grande estiagem na região norte do Rio Grande do Sul e naquela época, a partir da nossa organização de entidades, conseguimos elaborar um programa de governo que se consolidou no Seguro Agrícola para a Agricultura Familiar, uma conquista muito importante. Depois, em 2012, tivemos mais uma situação difícil de seca no Rio Grande do Sul e com nosso poder de organização e pressão dos governos conseguimos crédito de emergência de R$ 10.000,00 para amenizar aquela situação.

Nesse momento tenho certeza de que nós, sindicatos e cooperativas temos mais uma vez que fazer essa mobilização, elaborar uma pauta e é somente com essa pressão no governo que nós vamos conseguir que tanto governo estadual quanto federal atendam nossos pleitos. As principais preocupações são: as dívidas dos agricultores com as instituições financeiras e as cooperativas de produção; subsídio para aquisição de alimentação para os animais (milho da Conab); e crédito de emergência para sobrevivência das famílias.


LINKS ÚTEIS