Chuvas e enchentes causam prejuízos na agricultura gaúcha

Por Assessoria de Imprensa
Publicada em 15 de julho de 2015


O inverno gaúcho de 2015 trouxe chuvas intensas e prejuízos para os agricultores. Desde o último domingo (12) até a manhã desta quarta-feira (15), alguns municípios registraram mais de 300 milímetros, fato que ocasionou estragos nas lavouras de trigo, nas pastagens, além de cheias nos rios, colocando em alerta a população ribeirinha.

Em Crissiumal, no noroeste do estado, de acordo com a rádio Metrópole, o volume de chuvas já passou dos 300 milímetros em apenas três dias e o nível do rio Uruguai chegou aos 11 metros, se mantendo estável no momento. Segundo agricultores, a produção de pasto para o rebanho leiteiro foi muito prejudicada. A população ribeirinha está em estado de alerta, mas não há relatos de agricultores que precisaram deixar suas casas em função da cheia.

No município vizinho, Tiradentes do Sul, o rio Uruguai atinge lavouras de pasto e, causa prejuízos para a produção leiteira.  “Se o rio crescer mais dois metros, atingirá moradias”, alerta o vice-presidente do Sindicato da Agricultura Familiar, Jair Mayer.  As lavouras de trigo também foram muito afetadas pela chuva no município e região. Os agricultores relatam que a planta, recém nascida, sofre com doenças e em virtude das águas, não há possibilidade de tratamento.

Em algumas localidades dos municípios de Tenente Portela e Barra do Guarita, além do excesso de chuvas, que prejudica as pastagens e a triticultura, as pedras castigaram a população que teve telhados de casas e galpões destruídos.  Na região de Sarandi e Alto Uruguai, os agricultores também contabilizam significativas perdas nas lavouras de trigo e pastagens, em função das precipitações pluviométricas. No entanto, a situação ainda não é de emergência.

Os casos mais críticos dos municípios do interior do estado se concentram em Iraí e Porto Mauá, onde dezenas de famílias urbanas tiveram que deixar as casas em virtude da cheia do rio Uruguai. A travessia da balsa do rio Uruguai, está cancelada em Porto Mauá e Porto Soberbo, Tiradentes do sul.  Marcelino Ramos, Caiçara, Alecrim, Porto Vera Cruz, Porto Lucena, Vicente Dutra,  Barra do Guarita e Viadutos também são afetados pela enchente e chuvas.

Segundo a defesa civil de Santa Catarina, o nível do Rio Uruguai está estabilizado em 11,30 metros, na cidade catarinense de Itapiranga. Embora a tendência aponte para uma pequena elevação, não há razões para grandes preocupações por parte da população. O soldado Djavan, do corpo de bombeiros de Itapiranga, afirma que não há previsão de abertura de comportas de barragens e se o nível de chuvas não aumentar, o rio Uruguai deve começar a baixar.

Na região metropolitana de Porto Alegre, o município de Esteio decretou situação de emergência em virtude das chuvas e cheias. Novo Hamburgo, São Leopoldo e Sapucaia do Sul também sofrem com as inundações. A Defesa Civil do Rio Grande do Sul alerta para o aumento no nível dos rios da região do Vale do Caí e Vale do Sinos e para o Guaíba, em Porto Alegre.  De acordo com o órgão,  até a tarde de terça-feira (14) 1.196 famílias estavam desalojadas no estado e 604 pessoas desabrigadas. Mais de 30 municípios gaúchos foram afetados pelas chuvas até o momento.

Em Santa Catarina, as cheias e chuvas causaram danos ainda maiores. A nota divulgada pela defesa civil nesta quarta-feira (15), aponta que 47 municípios catarinenses foram afetados pelos eventos climáticos desde a sexta-feira (10) e 2870 pessoas atingidas. Até o momento treze municípios sinalizaram decretar Situação de Emergência e um, Estado de Calamidade Pública. Oito pessoas ficaram feridas e duas morreram.

Fotos: Vilson Winkler e  João Wictor

12,8m (4) porto maua


LINKS ÚTEIS